Com que roupa eu vou? Velório.

Como nem tudo na vida é flores, alguns dias aparecem em nossas vidas para refletirmos sobre as nossas atitudes e para nos lembrar de que nada é eterno, né?!
Ontem infelizmente a avó de uma amiga muito próxima se foi e é claro que eu fui dar um apoio à ela nesta hora difícil.
Graças à Deus esses momentos são raros na minha vida, mas recentemente estive na mesma situação duas vezes e como fazia muito tempo que eu não ia à um cemitério, na hora de me vestir bateu aquela dúvida sobre o que colocar; então reparei que não é um tema muito abordado nos blogs e revistas, afinal, é bem mais legal falar de festas e celebrações do que de um tema delicado como um enterro. Não queremos que aconteça, é claro, mas acontece; são circunstâncias inevitáveis da vida. Se para morrer basta estar vivo, estou aqui com este assunto, que, apesar de um pouco melancólico, considerei importante.
Não quero parecer insensível por ter fotografado antes de ir para o velório, mas fiz isso porque achei que ajudaria outras pessoas, que, assim como eu, acabam se perdendo um pouco no protocolo.
A minha opinião não é necessariamente correta, nem tampouco a única certa. Vou dizer apenas como ACHO que as pessoas devem se vestir para esse tipo de ocasião, lembrando sempre (em primeiro lugar, btw) que o luto é mais importante que o seu visual; mas ter respeito à pessoa que se foi e à família dela também é de suma importância.
Outra coisa: as dicas que dou aqui são para o caso de você ter um velório como o que tive: estávamos velando a avó da minha amiga. Portanto, eu fui para dar apoio à minha amiga. Apesar de ser importante, não era uma pessoa da minha família. Ressalto isso porque abaixo digo, por exemplo, o tipo de maquiagem que recomendo que seja usada no velório, mas caso o falecido fosse alguém da minha família, eu provavelmente estaria chorando e aí a abriria mão de passar qualquer maquiagem. Entendeu? Lembre-se de adequar as dicas à sua situação.
Então vamos às fotos, né?!

Cor - Sou super adepta à idéia das cores neutras para esses momentos: colocar uma roupa preta, branca ou em tons neutros como a que coloquei. Acho respeitoso, mas não gosto do visual total black; fica mais depressivo ainda, né?! Acho bacana, mas não para mim. É ruim ir com uma blusa colorida? Não, mas se puder, dê preferência aos tons mais leves. Lembre-se de que é um velório e não carnaval. Por mais "positivo" que você seja (do tipo "a pessoa foi para um lugar melhor", "está feliz agora"), é sempre bom manter as coisas simples.
Calça, saia ou vestido - Para mim não faz diferença o tipo de traje, mas NUNCA, jamais, em hipóese alguma vá com roupa colada, decotada ou curtinha. Se for de saia, que seja larguinha e com o comprimento pelo menos até o joelho; combine com uma blusa básica, sem decotes ou brilhos. Se for de vestido, nada de decote e o comprimento deve ser o mesmo. Velório não é balada! Por favor, não vá de piriguete. Acredito que você já tenha senso do que é se vestir de piriguete (se não, Google it! Ou veja a Suelen à noite). Calça é sempre coringa, pois dá para sentar confortavelmente, já que nem sempre tem cadeira disponível e você provavelmente ficará lá bastante tempo. Outra vantagem é você não precisa ficar puxando a saia para baixo ou conferindo como está a cada movimento. Eu fui de calça preta básica com blusinha delicada, mas sem exagero (tudo larguinho). Se puder evitar, não vá de legging (e se for, coloque uma bata ou blusa mais longa que tampe a "partedetrás"). Acho muito inapropriado ficar com o bumbum marcado numa situação assim.

Sapato - Dê preferência às sapatilhas. Rasteirinha aberta eu acho muito cara de praia ou churrasco. A sapatilha dá um ar de classe. O tom deve ser neutro também. Nada de vestir uma roupa toda preta básica e colocar uma sapatilha amarela em tom neon com um laço enorme e pink! Apesar de eu ser apaixonada por salto alto, acho que essa não é a ocasião certa para usá-lo por dois motivos: tem mais cara festa do que as sapatilhas e você provavelmente vai sentir dificuldades para andar com ele. Lembre-se de que cemitério comumente tem chão de paralelepípedo ou é de grama; e pode ser que o corpo seja enterrado bem no meio do gramadão. Nada pior do que, em um momento como esse, você ficar tentando se equilibrar para não afundar na grama.
Blusa - Como eu disse, algo neutro, simples, sem decote, larguinho etc. Da mesma forma que acho feio ir com algo com muito brilho, muito colorido ou super dressed up (parecendo que tá indo pra balada), também acho falta de respeito ir com roupa de academia ou com moleton. Se for inevitável ir assim, ok. Fazer o quê? Mas se puder, evite. É sempre melhor passar a impressão de que você pensou no que vestir para estar adequada àquela situação. Agora, se onde você mora é comum se vestir assim, então siga o que é feito aí para não chamar mais atenção do que a pessoa que está sendo velada.

Maquiagem - O mais leve possível, mas passe algo!!! Ir de cara lavada e com qualquer roupa, para mim, passa a impressão de que você levantou e saiu correndo sem dar importância à situação; e eu prefiro a imagem de que você colocou algum pensamento e perdeu algum (pouco) tempo naquilo, se dedicando a estar respeitosa ao velado. Só não vale chegar atrasada porque ficou se maquiando, hein?! Não é para se enfeitar inteira, mas ir de cara lavada é um pouco desleixado demais também (a menos que você não tenha o hábito de passar maquiagem no dia-a-dia). Eu passei protetor solar (importante, porque o enterro foi durante o dia e ao ar livre), pó, um pouquinho de blush, sombra rosa na pálpebra, sombra branca no cantinho interno e 2 camadas de rímel. Como acabei ficando em Sorocaba (SP) sem ter planejado, estava sem o meu kit. Se o tivesse em mãos, talvez faria a sobrancelha também (gente, é SOBRANCELHA!!! Não é porque você passa soMbra que a coitada tem que virar soMbrancelha, ok?). Acho desnecessário passar lápis no olho, delineador etc. Se quiser passar batom, um nude ou rosa clarinho (o famoso Snob, da MAC, não se classifica como clarinho, tá colega?! Tente algum que não vá aparecer direito)! Apesar de eu ser super adepta ao gloss, acho desnecessário qualquer coisa que brilhe. Os queridos balms fazem o serviço de hidratar e proteger a boca e são mais indicados por mim para a situação. Proteja seus lábios do sol e do vento, se possível.
Cabelo - Solto ou preso, mas discreto! Não importa se você vai soltar, prender ou fazer meio rabo. Só não vale colocar um laaaaaaaaço, um arranjo ou algo chamativo. Prefira a sobriedade e a discrição.
Acessórios - Aliança e mini brinco. Só. Evite colares - são lindos e estão na moda, então guarde o seu para a próxima vez que for à um barzinho! Exceção: escapulário ou uma correntinha fininha que fique escondida. Não gosto de pingentes aparentes. Menos é mais nesse caso. Anéis só se forem muuuito discretos, mas é melhor não correr o risco. Brinco pequeno - nada de argolas coloridas. Uma coisiquinha discreta fica melhor.
Perfume - Quem tem que chamar a atenção é a pessoa que partiu, não você. Já pensou se você vai toda trabalhada no cheirinho bom e um parente do morto é alérgico? Chato. Muito chato. Se quiser passar, procure fragrâncias leves e sem álcool, ou seja, que saiam logo. Na dúvida, não passe. Só não vai esquecer do desodorante, hein?!
Óculos de sol - Evite os multicoloridos RayBanRestart. Quanto mais preto e básico, melhor. Se você não estiver chorando horrores e com o rosto todo inchado, tire em lugares fechados. Não queira pagar de gatinha nessa hora. É feio.
Comportamento - Querida, é VELÓRIO. Quer rir, conversar, gritar quando reencontrar uma amiga que não vê há tempos? Pega o Facebook dela e combina de ir à um café (e mesmo assim, olhe lá! Escândalo é brega em qualquer lugar). Guarde as piadas para outro momento. Se comporte!
Caso a sua amiga que perdeu o parente esteja no velório há muito tempo, lembre-se de oferecer um café ou algo para ela comer, mas não insista. Ela já estará nervosa; se você ficar enchendo o saco, vai piorar ainda mais. Mostre que você se preocupa, mas respeite a decisão dela. Antes de falar qualquer coisa, pratique a empatia, ou seja, se coloque no lugar dessa sua amiga que acaba de perder o parente. Você gostaria que ela te dissesse o que você está para dizer se estivesse no lugar dela e ela no seu? Pense.
Telefone - Se não for possível desligar, deixe para tremer. Jamais para tocar! Na hora da reza, deixe o telefone para acender a luzinha. Em um momento de silêncio, até o trimilique do celular pode atrapalhar e é muito rude. Se estiver esperando uma ligação, mantenha o telefone na mão para atender o mais rápido possível ou saia da sala onde está o corpo. É melhor. Não fale durante a reza. Se for o caso de atender o telefone, aperte o botão para receber a ligação, mas só responda quando não estiver mais na sala. Não converse, a menos que a sua amiga te peça alguma coisa; e mesmo assim tente responder com poucas palavras (de preferência com um "ok", "ahan"). Vão te achar mal educada se você formular frases muito longas (vai parecer que está conversando), ainda que você possa estar simplesmente respondendo algo que a sua amiga perguntou. Se for o caso, saia (e a tire) de perto da muvuca.
Meus pêsames - A pior parte é "o que falar". Não fale. Dizer "meus pêsames", "meus sentimentos" ou um clássico "sinto muito" são válidos, mas quer saber? É claro que você sente. Senão, não estaria lá. É mais fácil apenas abraçar a sua amiga, sem dizer nada. Ela sabe que pode contar com você! Mas não se sinta mal se por acaso chegar lá e soltar um "Oi. Tudo bem?". Estamos tão habituados a cumprimentar falando isso que ela provavelmente não se sentirá ofendida e nem te responderá um sonoro "Não".
Não insista em perguntar se ela está bem ou como está se sentindo. Sendo, ou não, uma morte esperada, ela estará mal. Ligue no dia seguinte. Não precisa ser às 7h da manhã nem às 22h da noite, mas ligue. Mostre que se importa; às vezes a pessoa quer desabafar, mas acha que ligando estará te incomodando. Pergunte se ela está melhor e se precisa de algo. Seja breve. Nem pense em contar sobre a-briga-com-o-seu-namorado-ontem-à-noite-por-conta-da-baranga-no-Facebook-dele! Dê espaço para a pessoa se recuperar; ela provavelmente vai ter que juntar os caquinhos que sobraram (ir na casa do falecido para fazer limpeza, jogar as coisas fora, pegar o cachorro para criar etc). Não ligue a cada 5 minutos, mas também não suma. É bom estar disponível. Ela pode precisar de você!
Quando a mãe de uma amiga próxima faleceu e nós tínhamos uns 14 anos, a minha mãe sempre oferecia levá-la à escola, às festinhas, ao inglês etc. Se você estiver passando pela mesma situação que eu com uma amiga, lembre-se de que a pessoa que fazia isso tudo por ela partiu; talvez ela precise de você para dar uma ajuda.
Na dúvida, não faça, não use, não fale. Esteja lá para dar apoio, não para aparecer.
E boa sorte, né?! É chato, mas infelizmente acontece. Nada é eterno. Por isso, tente, na medida do possível, fazer sempre as escolhas certas na sua vida. Aproveite! E peça perdão quando precisar; você não sabe quando você - ou um amigo, namorado, marido, parente, filho etc pode partir. Viva e Curta! A vida é curta.

XOXO, SM.

 

What did you think of this article?




Trackbacks
  • No trackbacks exist for this post.
Comments
  • No comments exist for this post.
Leave a comment

Submitted comments are subject to moderation before being displayed.

 Name

 Email (will not be published)

 Website

Your comment is 0 characters limited to 3000 characters.